Tecnologia do Blogger.
RSS

Lei 11.769

Agosto de 2011. Esse é o prazo que as escolas têm para se adaptar e incluir na grade curricular a disciplina de música.

A lei 11.769 sancionada em 18 de agosto de 2008 fala que música deve ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, ou seja, pode ser incluída dentro da matéria de artes.

A lei também não deixa claro se todas as séries são obrigadas a terem a disciplina de Música, e também não diz quantas aulas semanais. Segundo a presidente nacional da Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM), Magali Kleber, cada secretaria está preenchendo esta lacuna do seu jeito. "Isso revela uma riqueza de que como é possível ter vários projetos pedagógicos para o ensino de música.” afirma.

A disciplina de música não é para formar músicos profissionais, mas de acordo com o MEC, é recomendado os cantos cívicos nacionais, sons de instrumentos de orquestra, que os alunos aprendam cantos, ritmos, danças e sons de instrumentos regionais e folclóricos para, assim, conhecer a diversidade cultural do Brasil além das noções básicas de música, como parâmetros do som.

““ É muito complicado impor um conteúdo programático obrigatório para as aulas de música, quando a LDB (Lei de Diretrizes e Bases) nº 9294/96 privilegia a flexibilidade do ensino", diz Sonia Albano, diretora regional da Associação Brasileira de Ensino Musical (ABEM), para quem o mais importante seria trabalhar a coordenação motora, o senso rítmico e melódico, o pulso interno, a voz, o movimento corporal, a percepção, a notação musical sob bases sensibilizadoras, além de um repertório que atinja os universos erudito, folclórico e popular.”

Revistar Abril 15/02/2011

Falta apenas cinco meses, e a procura de professores de música está cada vez mais difícil. Não temos profissionais suficientes para atender toda essa demanda. Talvez seja preciso uma extensão desse prazo porque as escolas brasileiras ainda não estão conseguindo se adaptar.

O professor de arte, formado em educação artística poderá aplicar as aulas de dança, artes e teatro, mas não música, por isso a complicação na hora de adaptar a escola na disciplina de música.

Em suma, a lei está ai e o que falta é profissional, e se não nos qualificarmos, cada vez mais irá entrar pessoas não preparadas para ocupar nossos lugares.

Vamos nos informar, hoje temos algumas universidades dando cursos de capacitação, licenciatura até mesmo na modalidade à distância. Não vamos perder tempo!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

3 comentários:

Josy Paiva disse...

Acho muito importante, mais muito importante mesmo divulgarmos a importância da música no ensino regular, sou arte-educadora musical há 6 anos, pois antes mesmo da Lei nosso município aqui em Minas já incluía na grade do ensino fundamental as disciplinas de artes visuais e música, Parabéns pelo artigo Maria Alice e tomei a liberdade de postar seu artigo no meu blog claro que dando os devidos créditos para vc!!Obrigada!

Meu blog para quem quiser visitar...
http://entrenomundodamusica.blogspot.com/

M.Alice disse...

Concerteza Josy, é de extrema importância, mas o que acontece muitas vezes é o pessoal camuflando essa lei em vez de se adptarem!!

Edivaldo disse...

É importante sim!!!!
Mas ainda tem muita coisa pra ser feita. Ainda existe essa camuflagem que vc disse Maria, e vc tem razao... na verdade ainda falta especificar tudo sobre essa lei, pq a propria lei esta dando essa margem pra que esses erros aconteçam, é comodo para o governo deixar uma professora de artes ou ate mesmo uma pessoa formada em pedagogia dar aula de musica nas escolas, pq ela ja esta la, nao precisando assim de uma outra pessoa pra isso, um gasto a mais... poderia mudar algo nessa lei, clasulas... sei la... alguma coisa pra que isso fosse mudado! Agora, que é de suma importancia a musica voltar nas escolas... isso sem duvida !!!
Abraço Maria, e parabens pela iniciativa!

Postar um comentário